11 de setembro Dia do Árbitro Esportivo

11 d setembro d 2020 às 3:46 pm

A data é comemorada no dia 11 de setembro e é uma homenagem a todos que desempenham a função tão importante dentro do esporte. No atletismo, o desempenho dos árbitros é fundamental e muitas vezes decisivo

Dia dos Árbitros
(Arte de Eder Mota/CBAt)

O Dia do Árbitro Esportivo é comemorado nesta sexta-feira, dia 11 de setembro, e a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e toda a comunidade atlética dá os parabéns para todos os que atuam na função, considerada uma das mais importantes dentro do esporte. No caso específico do atletismo, as exigências são ainda maiores por causa da diversidade e do número de provas – em um Campeonato Mundial são disputadas 48 provas. E há áreas em que a atuação do árbitro é fundamental e decisiva, como na marcha atlética.

Claudia Schneck de Jesus e Florenilson Itacaramby de Almeida são os representantes dos árbitros dentro da CBAt, eleitos por seus companheiros. Eles fazem parte do Conselho Técnico da entidade e têm direito a voz e voto na Assembleia Geral, o poder máximo do atletismo nacional.

O árbitro esportivo é a pessoa responsável por fazer cumprir as regras, o regulamento e o espírito esportivo. Tem formação e é treinado para intervir sempre que uma regra é violada ou alguma situação incomum acontece.

O grau máximo na arbitragem no atletismo é o III, outorgado pela World Athletics, ex-IAAF. Claudia Schneck tem esse grau, é Oficial Técnica Internacional (ITO, na sigla em inglês) e pode trabalhar em qualquer competição nacional e internacional. Já atuou em Sul-Americanos, Jogos Pan-Americanos, em Mundiais Sub-18, Sub-20 e Adultos e nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 e Rio-2016. “Não há esporte que tenha mais regras do que o atletismo, tanto nas provas de pista como de rua, trilhas e montanhas”, disse a paranaense, de 47 anos, ex-atleta de provas combinadas, em entrevista dada ao Podcast do Atletismo Brasileiro Última Volta, da CBAt.

Formada em arbitragem em 1996, em curso ministrado pelo professor Martinho Nobre dos Santos, atual diretor executivo da CBAt, Claudia escalou todas as fases no plano nacional e internacional. No painel da WA desde 2001, ela fez sua estreia fora do País no Mundial de Kingston Sub-20, na Jamaica, em 2002. “Gosto de tudo no atletismo, da cronometragem, linha de chegada, provas de pista, arremessos e lançamentos. Tenho paixão pelos saltos horizontais e verticais”, comentou a fisioterapeuta, que é uma das ministrantes de cursos de arbitragem da CBAt e tem atuado nos cursos de Ensino a Distância, implantados este ano por causa da pandemia da COVID-19.

O Brasil conta 6.952 árbitros registrados, desde os iniciantes até os Oficiais Técnicos Internacionais. Do total, 1.195 estão com registros válidos e podem atuar em competições nacionais. Só para se ter um ideia o Troféu Brasil Caixa de 2019, o principal torneio interclubes da América Latina, reuniu 96 árbitros nos quatro dias de competições.

As categorias dos árbitros internacionais são Nível I (podem atuar em eventos internacionais dentro do próprio país), Nível II (trabalham em eventos em países do continente) e Nível III (que atuam em Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais). Existem árbitros qualificados nos cursos que a CBAt realiza ou autoriza as federações estaduais realizar: Nível A (iniciante), Nível B (competições regionais) e Nível C (quadro nacional).

O dia 11 de setembro é consagrado para homenagear a categoria. O Dia do Árbitro Esportivo está regulamentado na Lei Nº 14.485, de 19 de julho de 2007.

O presidente do Conselho de Administração da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho, dá os parabéns aos árbitros em nome da comunidade do atletismo. “Fui atleta e treinador, agora sou dirigente. Também joguei futebol e sei que a arbitragem é uma área bem complexa no esporte. Por isso, cumprimento a todos os árbitros, especialmente os que atuam no atletismo e são tão fundamentais para o sucesso dos nossos eventos.”

A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.

Share