Almir Jr. e Thiago André são destaques do final de semana com suas melhores marcas na temporada

14 d Maio d 2018 às 9:40 am

O saltador obteve sua melhor marca pessoal e o meio fundista a sua segunda melhor marca pessoal

Almir Junior (Foto: Tania Moura)

Mais um grande resultado obteve o brasileiro Almir Cunha dos Santos na temporada. No Meeting de Guadalupe, na noite deste sábado (dia 12), ele conquistou a medalha de ouro no triplo com um salto de 17,53 m e vento de 0.3 m/s.

Além de recorde pessoal, Almir Junior, como é conhecido na comunidade atlética, alcançou o terceiro lugar no Ranking Mundial. Almir fica atrás apenas do cubano naturalizado português Pedro Pichardo, que tem 17,95 m, e do norte-americano Christian Taylor, com 17,81 m.

Por sinal, Pichardo foi o terceiro colocado em Guadalupe, com 17,40 m, mesma marca do segundo colocado, Will Claye (Estados Unidos). Claye, em março último, foi campeão do Mundial Indoor em Birmingham, na Grã-Bretanha, com 17,43 m. Na ocasião, Almir Junior ganhou prata e ficou a dois centímetros do vencedor.

Foi a primeira vez que Almir saltou acima de 17 metros ao ar livre. Ele já era líder do Ranking Brasileiro da temporada, com 16,96 m, marca alcançada em Porto Alegre, a cidade onde mora e compete pela Sogipa, treinando com José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca.

Nascido no Mato Grosso, com 24 anos, Almir Junior marcou outra proeza em Guadalupe. Com o salto de 17,53 m, ele agora é o terceiro melhor triplista da história do Atletismo nacional. Fica atrás apenas de Jadel Gregório, que tem 17,90 m, e de João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, que tem 17,89 m.

Em Guadalupe o Brasil teve ainda dois atletas no pódio: Talles Frederico Souza Silva (Pinheiros), treinado por Kiyoshi Takahashi, foi o segundo com 2,22 m no salto em altura. Tiago Silva (Pinheiros), treinado por Tânia Moura, foi o terceiro no salto em distância, com 7,14 m.

“Parabéns ao Almir por mais esta conquista para o Brasil”, comemorou o presidente da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho. “O Almir é jovem e pode competir por muitos anos, em defesa de seu clube e da Seleção Brasileira”, completou Warlindo.

O brasileiro Thiago do Rosário André disputou os 1.500 m na segunda etapa da Liga Diamante 2018, realizada em Xangai (China), neste sábado (dia 12). Thiago foi o único não africano a ficar entre os oito primeiros colocados na prova, ao terminar em sétimo lugar, com 3:35.40. O pódio teve o campeão Timothy Cheruiyot (Quênia), com 3:31.48, o vice-campeão Samuel Tefera (Etiópia), com 3:31.63, e Abdelaati Iguider (Marrocos), medalha de bronze, com 3:32.72.

A marca obtida na cidade chinesa foi a melhor de Thiago na temporada. Antes ele tinha 3:43.12, alcançada em torneio da FPA , em São Bernardo do Campo (SP). O tempo de Xangai é o segundo melhor da carreira de Thiago, que em 2017, no meeting de Nigmegen (Holanda), fez 3:35.28.

Além dos 1.500 m, o meio-fundista também é especialista nos 800 m e já correu a distância abaixo de 1:45.00 – fez 1:44.81, na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo, no ano passado. Também em 2017, em Londres (Grã-Bretanha), foi o sétimo colocado no Campeonato Mundial de Atletismo.

Atleta da Orcampi Unimed (Campinas), treinado por Ricardo D’Angelo, Thiago participou, com seu técnico, de camping de preparação em Paipa, na Colômbia, organizado pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), com apoio do COB, e recursos do Programa Caixa de Campings, Patrocinadora Oficial do Atletismo brasileiro.

Share