Atletismo com forte presença no Prêmio Brasil Olímpico

17 d dezembro d 2015 às 9:10 pm

fabi.brasil.olimpico.2015Uma festa no Rio de Janeiro marcou a entrega do Prêmio Brasil Olímpico 2015. O evento, na noite desta terça-feira (dia 15), foi realizado pelo Comitê Olímpico do Brasil. Entre os presentes estava o ministro do Esporte, George Hilton.

O presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), José Antonio Martins Fernandes, também compareceu à cerimônia. Mais cedo, a convite do presidente do COB e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, visitou as instalações da Vila Olímpica ao lado de presidentes de outras Confederações.

O Prêmio Atleta do Ano foi ganho pelo canoísta Isaquias Queiroz, no masculino, e por Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, no feminino. Fabiana Murer, que concorreu ao prêmio principal no feminino, levou o troféu de Melhor do Atletismo na temporada.

Ela foi vice-campeã mundial em Pequim, e levou a prata também no PAN de Toronto e na Liga Diamante, encerrada em setembro, em Zurique. Também passou a fazer parte da Comissão de Atletas da IAAF, por escolha do Conselho da entidade.

Na solenidade, foi entregue também o Troféu Adhemar Ferreira da Silva. O ganhador do ano passado, Vanderlei Cordeiro de Lima (bronze olímpico na maratona em Atenas 2004), entregou o prêmio de 2015 a Gustavo Kuerten, o Guga. O tenista, tricampeão de Roland Garros, fez um discurso emocionado em favor do esporte.

Emoção também viveu a maratonista Adriana Aparecida da Silva. Ela recebeu oficialmente a medalha de ouro do PAN de Toronto, das mãos de seu treinador, Cláudio Castilho. Adriana havia levado a prata e herdou o ouro após a desqualificação da peruana Gladys Tejeda, que havia terminado a prova em primeiro lugar, mas que deu positivo no controle de doping.

Também no Atletismo, Paulo André Camilo de Oliveira foi premiado como o melhor atleta da categoria masculina dos Jogos Escolares da Juventude. Ele bateu durante a competição, realizada em novembro, em Maringá (PR), o recorde sul-americano dos 100 m da categoria Sub-18, com 10.30.

Na cerimônia, em que foram homenageados os ganhadores de medalha nos Jogos Pan-Americanos, um antigo nome do Atletismo, Edson Bindilatti, foi escolhido como o melhor do ano no desporto no gelo.

 

Foto: Fabiane Murer no Prêmio Brasil Olímpico (Saulo Cruz/Exemplus/COB)

Fonte: Assessoria de Imprensa da CBAt

Share