Caio Teixeira supera limites para treinar na elite

8 d junho d 2020 às 2:28 pm

Campeão brasileiro e sul-americano dos 400 m com barreiras na categoria sub-20, paulistano é considerado uma promessa do atletismo. Ele estava qualificado para o Mundial do Quênia, em julho, mas que acabou adiado pela pandemia da COVID-19

Caio Teixeira (Wagner Carmo/CBAt)

O paulistano Caio de Almeida Alves Teixeira (Centro Olímpico-SP), uma das promessas do esporte, trava duas lutas constantes na carreira de atleta, especialista nos 400 m com barreiras: superar limites e administrar problemas causados pela baixa imunidade.

Aos 19 anos completados no dia 21 de março, o campeão brasileiro e sul-americano sub-20 toma cuidados redobrados na quarentena. Depois de um período de férias, voltou a treinar exclusivamente em casa por causa da pandemia global da COVID-19. “O momento é complicado e precisamos ter paciência”, disse o atleta, qualificado para o Mundial Sub-20 do Quênia, inicialmente previsto para julho de 2020, que acabou adiado por causa da pandemia.

“Fiquei muito triste com o adiamento da competição. Estava me preparando desde 2018 para o Mundial. Em 2021 já terei 20 anos. É uma pena”, comentou o barreirista que foi indicado por professores da escola do SESI da Vila Mercês para a equipe de atletismo do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa em 2015. “No começo fazia decatlo, mas depois optei pelos 400 m com barreiras por orientação do técnico Alexandre Morato”, lembrou.

Treinado por Victor Fernandes desde o início de 2019, Caio Teixeira lidera o Ranking Brasileiro Sub-20 de 2020, com 51.79, e terminou 2019 em segundo lugar na lista, com 50.31, tempo obtido na quarta colocação no Campeonato Pan-Americano Sub-20 de San José, na Costa Rica. No Ranking, ficou atrás apenas de Alison Santos, o Piu, que conseguiu 48.28 na final do Mundial Adulto de Doha, no Catar.

Vice-campeão mundial escolar, Caio foi finalista nos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados em 2018, em Buenos Aires, Argentina. Ele escreveu em seu perfil no Linkedin. “Representei a seleção brasileira em cinco competições. Conheci nove países de três continentes. Estudo inglês e estou no nível avançado, também consigo me comunicar em espanhol com facilidade. Gosto muito do meio ambiente e quero atuar nessa área no futuro”.

O treinador Victor Fernandes diz que Caio tem um grande potencial atlético. “Nos últimos anos, ele tem conseguido treinar com mais regularidade e, por isso, a sua grande evolução. Ele faltava muito aos treinos por causa da escola e do seu frágil sistema imune – quando o treino ficava mais forte ele adoecia. Ajustamos sua alimentação e suplementação para melhora do sistema imune e ele tem suportado melhor os treinamentos sem ter que se ausentar”, contou o técnico. “Está amadurecendo com a idade e mostrando responsabilidade no treinamento. Tem assimilado bem questões técnicas sobre sua prova”, completou.

A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.

Share