Cláudio Roberto recebe medalha olímpica de prata

25 d abril d 2016 às 1:30 pm
Cláudio Roberto recebe medalha olímpica de prata

Claudio Roberto de Souza (Fernanda Paradizo/CBAt)

As reuniões preliminares da Assembleia Geral Ordinária da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) tiveram no início da tarde deste sábado (dia 23) um momento muito emocionante. O ex-velocista Cláudio Roberto de Souza, um dos Heróis do Atletismo Caixa, recebeu a medalha de prata conquistada pela equipe do revezamento 4×100 m masculina na Olimpíada de Sydney, em 2000, na Austrália.

Claudinho, como é chamado, foi surpreendido pela iniciativa de André Domingos da Silva, integrante do revezamento, que resolveu fazer uma cópia de sua medalha para entregá-la ao companheiro, que correu a semifinal olímpica no lugar de Claudinei Quirino da Silva, poupado para a disputa dos 200 m.

André teve a colaboração de Arnaldo de Oliveira, medalhista de bronze na Olimpíada de Atlanta, em 1996, na elaboração da homenagem, além de dirigentes da CBAt e da TV Bandeirantes, que vai exibir matéria completa neste domingo (24), a partir das 13:30, durante o Band Esporte Clube.

“A situação do Claudinho me incomodava e por isso tentei fazer o que pude”, contou André, que mandou fazer a cópia de sua medalha em São José do Rio Preto (SP). Segundo ele, o trabalho entre idas e voltas demorou três meses e meio até chegar ao produto final.

“A princípio, a homenagem estava prevista para o Troféu Brasil Caixa, mas aí resolvemos, com apoio da CBAt, fazê-la na Assembleia Geral”, lembrou Arnaldo de Oliveira. “O Cláudio é uma pessoa muito humilde e que merece tudo o que está sendo feito”, completou.

Antes do início da homenagem, o repórter Nivaldo de Cillo, da TV Bandeirantes, exibiu videoteipe de entrevista realizada em Jaú, onde Claudinho vive com a família, em que ele lamentava a falta da medalha.

A cerimônia realizada na Sala Austral do Pestana São Paulo Hotel, na capital paulista, contou com a participação de músicos do Instituto Baccarelli, que tocaram os Hinos Olímpico e do Brasil para aumentar ainda mais a emoção do ex-velocista.

“Estou vivendo um sonho. Estou extremamente feliz, mas tão feliz que nem sei o que falar. Só muito grato a todos”, comentou Cláudio Roberto, com a medalha no pescoço. “Sempre quis fazer este gesto”, falou, segurando a medalha, fazendo pose para as câmeras.

Ele lembrou que em 2000, quando voltou ao Brasil, não teve coragem de ir a Teresina, no Piauí, onde nasceu, para comemorar a medalha de prata. “O que iria fazer lá? O que iria mostrar para a minha gente”, disse o Claudinho, que dá palestras por todo o Brasil e sempre foi reconhecido com um dos Heróis Olímpicos do Atletismo Caixa da CBAt.

O ex-velocista recebeu o abraço de todos os medalhistas olímpicos presentes, como os companheiros de revezamento Vicente Lenilson de Lima, Edson Luciano Ribeiro e Claudinei Quirino, além de André Domingos. Foi homenageado também por Robson Caetano, Vanderlei Cordeiro de Lima e Maurren Maggi, além de Arnaldo de Oliveira.

“Tudo isso foi muito emocionante. Chorei. Agradeço o que você fez pelo Brasil. Acho que você tem de fazer a festa em Teresina. Tem direito a caminhão do Corpo de Bombeiros e tudo”, comentou Maurren Maggi, campeã olímpica do salto em distância em Pequim, em 2008.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da CBAt

Share