Inspirado por Joaquim Cruz, Dudu melhora índice para o Mundial Sub-20

10 d março d 2020 às 2:19 pm

Eduardo Ribeiro, mineiro de Lavras, correu os 800 m em 1:48.96 no último Torneio FPA, em São Bernardo do Campo, batendo o recorde pessoal. O Mundial Sub-20 está marcado para o período de 7 a 12 de julho, em Nairóbi, Quênia

Eduardo Ribeiro – Dudu . Divulgação

O mineiro Eduardo Ribeiro (Pinheiros) tem Joaquim Cruz como ídolo, ou mais do que isso como inspiração. Aos 19 anos, completados em janeiro, Dudu, como é chamado, conseguiu correr duas vezes a prova dos 800 m abaixo do índice exigido pelo World Athletics (ex-IAAf) para o Campeonato Mundial Sub-20 de Nairóbi, no Quênia, marcado para o período de 7 a 12 de julho.

Ele correu primeiro a prova no Torneio FPA Sub-20 e Adulto, disputado nos dias 29 de fevereiro e 1 de março, no Centro de Excelência de Atletismo Professor Oswaldo Terra, em São Bernardo do Campo (SP), quando completou as duas voltas na pista em 1:50.55, superando a marca mínima de 1:50.80. No sábado (7/3), na mesma competição e lugar, completou a prova em 1:48:96, ficando atrás apenas do experiente Thiago do Rosário André (FME Camboriú), com 1:48:61.

“Estou muito feliz por ter quebrado meu recorde pessoal duas vezes nas duas primeiras competições do ano”, disse o atleta nascido em Lavras (MG), descoberto num teste de escola pelo falecido técnico Fernando Roberto de Oliveira, do CRIA Lavras, aos 12 anos. “Estou há um ano treinando em Bragança Paulista, com o professor Clodoaldo Lopes do Carmo, e acho que posso melhorar muito.”

Dudu está feliz por ter a companhia de vários atletas nos treinos no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA). “Antes treinava sozinho, mas agora estou mais motivado e acho que posso correr na casa dos 1:46 ou 1:45 e brigar por uma medalha em Nairóbi. Sei que vai ser difícil correr como o Joaquim Cruz, mas quero chegar perto dele”, disse, referindo-se ao campeão olímpico de Los Angeles-1984 e recordista sul-americano dos 800 m, com 1:41.77. “Li o livro dele e fiquei mais motivado”, comentou sobre o “Matador de Dragões”, escrito pelo jornalista Rafael de Marco.

Com o segundo grau concluído, ele tirou este ano para treinar e competir. “Em 2021, quero fazer faculdade de Educação Física”, afirmou o corredor, que divide uma casa com outros quatro atletas na cidade. Eduardo volta à pista neste sábado (14/3), em Bragança Paulista, em nova etapa do Torneio FPA. “O objetivo é conseguir um tempo melhor, já que a pista de Bragança está melhor do que a de São Bernardo”, concluiu.

Na etapa do dia 7, Lucas Conceição Vilar (SESI-SP) alcançou o índice dos 200 m (já tinha o dos 100 m), com 21.06 (0.2). Outro atleta que melhorou marca foi Caio de Almeida Alves Teixeira (Centro Olímpico-SP), que correu os 400 m com barreiras em 51.79. Ele havia conseguido o índice (53.10) na primeira prova da temporada, com 51.80.

A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.

Share