Jovens brasileiros tem boas performances e ganham medalhas no Mundial sub-20

16 d julho d 2018 às 6:16 pm

Mirieli Santos conquista prata no salto triplo e  Alison Santos conquista bronze no Mundial da Finlândia

Mirieli comemora na pista (Fernando Reis.CBAt)

Mirieli Estaili Santos conquistou no domingo (dia 15) a medalha de prata do salto triplo do Campeonato Mundial Sub-20 de Atletismo, no Ratina Stadium, na cidade de Tampere, na Finlândia. Foi a segunda medalha brasileira na competição, encerrada neste domingo, e a 14ª de toda a história.

Mirieli, nascida em Conceição do Araguaia (PA), mas criada a vida toda em Sorriso (MT), garantiu a prata em sua quinta tentativa, quando saltou 13,81 m (1.5), quebrando o seu recorde pessoal, que era de 13,60 m (0.6), obtido na qualificação de sábado (14).

A brasileira, que não participou do Campeonato Brasileiro Caixa Sub-20, no final de junho, por causa de uma lesão na coxa esquerda, em Bragança Paulista (SP), comemorou muito a recuperação e a medalha, abraçada ao treinador Marcos Vieira, do ASA Sorriso.

“Não sei nem dizer o que estou sentindo. Não dá para explicar. Estou muito feliz, quando dei o quinto salto tinha certeza da medalha. Nossa. Só diz que estou muito feliz”, disse por telefone. “Acho que a ficha vai cair mais tarde”, completou.

Para o técnico Marcos Vieira, a medalha é um grande prêmio. “Isso é fruto de muito trabalho, de muita dedicação. A gente mora no interior do interior. Temos o apoio da Prefeitura de Sorriso, mas enfrentamos dificuldades”, comentou o treinador.

No Mundial, Mirieli, que assumiu o quarto lugar no Ranking Mundial da categoria da IAAF, só foi superada pela búlgara Aleksandra Nacheva, que marcou 14,18 m (1.6), o melhor resultado da temporada 2018. A cubana Davisleydi Velazco ficou com a medalha de bronze, com 13,78 m (1.4).

Alison comemora na pista (André Guerreiro/CBAt)

A outra medalha brasileira foi conquistada no sábado por Alison dos Santos nos 400 m com barreiras. Ele ficou em terceiro lugar, com 49.78, com recorde pessoal.Para garantir um lugar no pódio, o paulista de 18 anos, nascido na cidade de São Joaquim da Barra, completou a prova em 49.78, melhorando o seu recorde pessoal, que era de 50.48. A medalha de ouro ficou com o sul-africano Sokwakhana Zazini, com 49.42, enquanto a prata foi para Bassem Hemeida, do Catar, com 49.59.

Treinado por Felipe Siqueira da Silva, no Pinheiros, Alison comemorou muito o resultado. “Sabia que tinha condições de brigar por uma medalha e para isso teria de melhorar meu tempo. Estou muito feliz por levar a medalha para o Brasil e quero agradecer ao meu treinador e aos meus familiares”, disse o atleta, logo após a prova, enrolado numa bandeira brasileira.

Ouro no ano passado no revezamento misto 4×400 m no Mundial Sub-18 do Quênia, Alison estava qualificado para correr também os 400 m, mas abriu mão por causa do calendário de provas do Mundial. “Ele teria de fazer as duas provas no mesmo dia e decidirmos investir nas barreiras”, lembrou Felipe Siqueira.

No lançamento do dardo, o amazonense Pedro Henrique Rodrigues, 10º lugar no Ranking da categoria da IAAF antes do Mundial, conseguiu outro bom resultado. Ele terminou na quinta colocação, com 72,44 m. O australiano Nash Lowis conquistou o ouro, com 75,31 m, seguido do norte-americano Tzuriel Pedigo, com 73,76 m, e do alemão Maurice Voigh, com 73,44 m.

Sexta colocada nos 100 m, a brasileira Lorraine Martins terminou em sétimo lugar na final dos 200 m, com 23.91 (-0.1), acusando o desgaste de quatro dias seguidos de competição. Aos 18 anos, ela foi quarta colocada no ano passado nos 100 e nos 200 m do Campeonato Mundial Sub-18, disputado em Nairóbi, no Quênia.

A jamaicana Briana Williams conquistou a medalha de ouro, com 22.50, novo recorde do Campeonato, seguida da norte-americana Lauren Rain Williams, com 23.09, e da polonesa Martyna Kotwila, com 23.21.

Na final dos 10.000 m marcha atlética, o brasileiro Matheus Gabriel Correa obteve o melhor tempo de sua carreira em prova de pista, com 42:55.70, terminando na 17ª posição. A chegada foi muito disputada e decidida no fotofinish. O pódio foi formado pelo chinês Yao Zhang (40:32.06), pelo equatoriano David Hurtado (40:32.06) e pelo guatemalteco José Ortiz (40:45.26).

No revezamento 4×400 m feminino, a equipe brasileira, formada por Marlene Santos, Tiffani Marinho, Chayanne da Silva e Letícia Lima, terminou na oitava colocação, com 3:34.55, novo recorde sul-americano. O anterior era da Colômbia, com 3:36.74, desde 2011.  O pódio foi formado pelos Estados Unidos (3:28.74), Austrália (3:31.36) e Jamaica (3:31.90).

O Brasil teve uma delegação com 20 atletas em Tampere – sete homens e 13 mulheres. Os brasileiros participaram de oito provas finais em Tampere. Além da medalha de prata de Mirieli e de bronze de Alison Santos, destaques para:

5º – Pedro Henrique Rodrigues – lançamento do dardo
6º – Lorraine Martins – 100 m
7º – Lorraine Martins – 200 m
8º – Revezamento 4×400 m (Marlene Santos, Tiffani Marinho, Chayanne da Silva e Letícia Lima)
9º – Valquiria Meurer – lançamento do disco
10º – Fabielle Samira Ferreira – lançamento do dardo

“Formamos uma Seleção forte para o Mundial Sub-20 e todos os convocados garantiram vaga ao atingirem índices. Gostaria de dar meus parabéns a todos pelo empenho com quem defenderam o Brasil”, comentou o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, Warlindo Carneiro da Silva Filho.

O Brasil passa a ter agora 14 medalhas na história do Mundial Sub-20, sendo três de ouro, duas de prata e nove de bronze.

Share