Liga Diamante adia mais duas etapas do circuito e confirma “Impossible Games”

25 d abril d 2020 às 1:12 pm

A novidade é a confirmação dos Bislett Games de Oslo, que terá formato alternativo este ano, no dia 11 de junho. Organizadores devem seguir as diretrizes da Noruega de combate a pandemia de COVID-19, e anunciam confrontos internacionais

Os organizadores da Liga Diamante, o principal circuito de competições de atletismo, anunciaram nesta quinta-feira (23/4) o adiamento de mais duas etapas, marcadas para junho: a de Eugene, Estados Unidos, no dia 7, e a de Paris, França, no dia 13. Os adiamentos foram causados pela pandemia global da COVID-19.

Uma exceção no calendário devem ser os Bislett Games de Oslo, Noruega, que estão marcados para o 11 de junho, em formato alternativo. Denominado de Bislett Games, ele vai mudar de formato e chamar-se “Impossible Games”.

A Liga Diamante já havia adiado os meetings de Doha (CAT), da China (dois), de Estocolmo (SUE), de Roma/Nápoles (ITA) e de Rabat (MAR), previstos para abril e maio.

A decisão desta quinta-feira foi tomada após consultas com todas as partes envolvidas e com base nas preocupações com a segurança dos atletas, bem como pelas restrições de viagens, que tornam impossível a realização das competições conforme planejado.

Novas datas para os eventos adiados da Liga Diamante serão anunciadas em cooperação com a Unidade de Calendário Global do World Athletics (ex-IAAF), assim que a situação mundial da pandemia possibilitar um plano confiável.

Já os Bislett Games, de caráter alternativo, devem seguir rigorosamente as determinações do governo norueguês sobre o combate ao novo coronavírus, segundo os organizadores da Liga Diamante.

O programa do evento prevê inicialmente a tentativa de novo recorde mundial dos 400 m com barreiras do norueguês Karsten Warholm, bicampeão mundial da prova, e uma disputa no salto com vara entre o sueco Armand “Mondo” Duplantis, recordista mundial indoor, e o francês Renaud Lavillenie, campeão olímpico.

Será uma competição sem público, transmitido pela televisão, com caráter de exibição e com a participação de poucos atletas, alguns de forma bem original.

Financiados pela World Athletics em 50.000 dólares e pela Federação norueguesa, o Estádio Bislett vai ter a presença do norueguês Karsten Warholm que vai tentar bater o recorde mundial dos 300 m barreiras (34,48 s de Chris Rawlison).

Uma atleta norueguesa, Karoline Grovdal, atacará sozinha, o recorde do seu país dos 3.000 m que pertence à histórica Grete Waitz.

O campeão mundial do disco, o sueco Daniel Stahl, lançará frente a outros rivais. Sempre respeitando espaços e distâncias de segurança.

A Organização ainda não tem definidos todos os pormenores deste meeting original e está negociando com os irmãos Ingebrigtsen, para a sua participação numa prova.

“Essa é uma notícia positiva para atletas e fãs e promete, mesmo nesta fase inicial, ser uma grande noite de atletismo no estádio Bislett. Parabéns aos organizadores por sonhar com isso e seguir o sonho, trabalhando dentro das diretrizes de pandemia estabelecidas na Noruega”, disse Sebastian Coe, presidente da World Athletics.

Share