Mo Farah revela segredos: quilômetros semanais e número de sapatilhas utilizadas

13 d setembro d 2019 às 8:11 pm

Britânico levantou um pouco a ponta do véu à ‘Runners World’

Foto: Getty Images

Depois de ter partilhado alguns dos seus hábitos no que diz respeito a nutrição , Mo Farah detalhou à revista norte-americana ‘Runners World’ alguns pormenores da sua preparação para uma maratona, como a média de quilômetros diária e semanal, isto alem do que faz nas suas preparação fora de correr.

No que diz respeito à quilometragem, o atleta britânico, que se encontra a preparar-se a Maratona de Chicago, assume que tudo depende da fase de preparação, mas normalmente roda em torno dos 195 quilômetros semanais. “Normalmente o momento mais difícil é entre janeiro e março, porque é quando começo a preparar a maratona alvo. Em média corro cerca de 28 quilômetros diários, alguns dias um pouco mais, acabando as semanas com uns 195. Estreio novas sapatilhas a cada três semanas!”, revelou Mo Farah, que nesse capítulo não tem grandes problemas, já que é patrocinado pela Nike.

E quanto ao trabalho de academia? “Vou várias vezes por semana. Faço agachamento frontal, peso morto, trabalho com halteres, mas nunca demasiado pesado. Quando chegas cansado à fase final, a força é aquilo que te ajuda a manter a postura para correr até final”, explicou.

A finalizar, o atleta de 36 anos explica por que razão deu o salto para a maratona. “Fiz uma carreira incrível. Estou a avançar pouco a pouco, mas nunca sonhei ser campeão olímpico, quanto muito quatro vezes! Quando consegues isso, não vives tão obcecado por resultados. Mas queria algo que me desafiasse, que me desse algum nervosismo. Queria colocar-me à prova e ver se podia fazê-lo”, concluiu.

Mo Farah, lembrando, ganhou no domingo a Great North Run, com 59:07 minutos, um registo que o coloca como o mais rápido europeu da história, ainda que esse mesmo tempo não possa ser homologado, devido ao desnível da prova e também pelo fato de a partida e a chegada não serem num raio de 50% de distância.

Fonte: Fabio Lima para www.record.pt

Share