O bicampeão mundial Duda dá adeus as pistas

3 d fevereiro d 2020 às 9:49 pm

Após 16 anos de carreira e os títulos dos Mundiais Indoor de Sopot-2014 e Istambul-2012, Mauro Vinícius Hilário Lourenço da Silva deixa as competições, mas garante que continuará no atletismo

Mauro Vinícius Hilário Lourenço da Silva, o Duda

Mauro Vinícius Hilário Lourenço da Silva, o Duda, anunciou neste início de fevereiro de 2020, por meio de suas redes sociais para os fãs e torcedores que perguntavam se iria disputar mais um Mundial Indoor, que estava encerrando oficialmente uma carreira de 16 anos e que passará a se dedicar a outros projetos, dentre eles o Programa Caixa de Apoio aos Heróis Olímpicos – Heróis do Atletismo (ações de engajamento e de resgate da cidadania, eventos, promocionais, seminários e palestras).

Mas Duda, que vive com a mulher Giovana, heptatleta, e o filho Gael, de 6 meses, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, também poderá atuar como treinador e em outros projetos em desenvolvimento na sua cidade. Garante que não ficará longe do atletismo.

“Olá pessoal eu queria deixar a todos que me acompanham, de uma maneira mais oficial, a informação sobre o término da minha carreira, uma carreira de 16 anos, de muitas alegrias – algumas tristezas também porque o esporte de alto rendimento tem altos e baixos. E com isso aproveito para agradecer a todos que sempre torceram e estiveram ali, em diversas ocasiões, mandando energias positivas, as diversas mensagens que tenho recebido do fim do ano para cá. Estou encerrando minha carreira, focado em outros projetos, alguns deles dentro do atletismo, com o Heróis do Atletismo. Muito obrigado! E que os próximos objetivos eu possa compartilhar com vocês”, gravou Duda nas redes sociais.

Duda – que sempre tocou cavaquinho, um de seus talentos fora das pistas – recebeu mensagens de várias personalidades da área de arte e esporte, como de seu primo Thiaguinho e da atriz Fernanda Souza, do ex-jogador Clarence Seedorf, do CEO do governo de Dubai Hamad M. Bin Mejren, do medalhista olímpico Claudinei Quirino, dos jogadores de futebol Dentinho e Danilo Avelar, do cantor Belutti etc.

Do norte-americano bicampeão olímpico e tetracampeão mundial no salto triplo Christian Taylor veio a mensagem bem-humorada e cheia de carinho: “Você é tão velho? Tenho muito amor e respeito por você. Deus te abençoe!”

Também Warlindo Carneiro da Silva Filho, presidente do Conselho de Administração da CBAt deixou sua mensagem emocionada para Duda. “É com muita tristeza que recebo a notícia de que você vai parar com os treinamentos no atletismo, mas isso prova a sua inteligência e mostra o homem que você é. Duda, você é um bicampeão mundial indoor do salto em distância, fez muito pela pátria e agradeço em nome da Confederação Brasileira de Atletismo não só as medalhas de ouro que trouxe para o país, mas pela pessoa que você é. Tenho certeza de que você será feliz na sua nova empreitada como foi nas pistas. O atletismo brasileiro agradece: obrigado Duda! Vai em frente filho e que Deus te proteja!”

História

O bicampeonato mundial no salto em distância de Duda veio em Sopot, na Polônia, em 8 de março de 2014. Duda saltou 8,28 m, para repetir o título e igualar o seu próprio recorde brasileiro, que havia conquistado em Istambul/2012, tornando-se o primeiro bicampeão mundial indoor do Brasil.

O salto do título veio na sexta e última tentativa – até então, era o quinto colocado, com 8,06 m – numa prova com muita emoção, como já havia ocorrido na etapa de qualificação, quando conquistou a marca para disputar a final no último salto, com 8,02 m. E num clima de superação: Duda sofreu com lesões que atrapalharam sua preparação para Sopot. Chegou ao Mundial sem ritmo de competição, que foi adquirindo ao longo da disputa.

“Todos os momentos foram importantes, mas o bicampeonato foi o mais marcante porque eu estava machucado, não conseguia nem saltar nos treinos. Saltei 8,28 m! Foi muito especial, fiz algo inédito tendo uma superação muito grande. Tanto que na sequência fui ao Sul-Americano e não consegui saltar”, afirmou Duda.

O primeiro ouro veio em Istambul, Turquia, em 10 de março de 2012. Duda saltou 8,23 m duas vezes na final para levar o inédito ouro do Brasil em um Mundial Indoor no salto em distância – nas qualificatórias, havia feito um salto de 8,28 m, o melhor do ano no mundo (2012) e recorde brasileiro – pulverizou sua própria marca indoor, que era de 8,04 m, de Linz (AUS), de 2009.

Nas duas conquistas dos títulos mundiais Duda teve ao seu lado o treinador Aristides Junqueira, o Tide, que morreu há dois anos depois de décadas de dedicação ao atletismo.

A melhor marca de Duda é 8,31 m (1,4 m/s), obtida em São Paulo (7/6/2013). Foi 7º na Olimpíada de Londres-2012 e 5º no Mundial de Moscou-2013.

Duda começou no esporte no futebol, em Presidente Prudente, onde nasceu em 26/12/1986. A cidade do interior de São Paulo era celeiro de grandes nomes do atletismo brasileiro. Pela televisão Duda viu alguns deles, como Claudinei Quirino, André Domingos e Edson Luciano, se consagrarem na Olimpíada de Sydney-2000. Mas ainda alimentava o sonho de jogar futebol e, aos 14 anos, matriculou-se na escolinha do São Paulo.

“Eu corria muito, mas não tinha a menor habilidade. Era lateral, a bola batia na canela, ia para fora.” Os professores o aconselharam a experimentar o atletismo, mas aos 16 anos deixou o esporte para trabalhar. Apenas em 2006, seguindo o sonho da mãe Iza que o imaginava na Olimpíada de Pequim-2008 como atleta, foi fazer um teste no clube de atletismo da cidade.

Seu desempenho nos 60 m, equivalente ao de jovens que já treinavam ali, impressionou o técnico Inaldo Sena. Passou a competir nos 100 m e 200 m. Em 2007, fez outro teste, dessa vez no salto em distância, e passou a treinar sob a supervisão de Aristides Junqueira, com quem trabalhou até a morte do treinador.

“Um dia, ela me disse (a mãe Iza) que tinha sonhado comigo, que tinha me visto na Olimpíada de Pequim. Minha mãe tem dessas coisas, esses pressentimentos. Acreditei e fui em frente. Participei de Pequim e o sonho da minha mãe se realizou”, completa Duda.

A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.

Share