O dia hoje é de Sanderlei Parrela

7 d outubro d 2020 às 11:16 am

Vice-campeão mundial dos 400 m em Sevilha-1999 é recordista brasileiro da prova há 21 anos, com 44.29. Treinador do Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), da CBAt, é também recordista sul-americano com a equipe do 4×400 m

Sanderlei Parrela ainda em competição
(Divulgação/CBAt)

Parabéns Sanderlei Claro Parrela. O paulista Sanderlei Parrela, medalha de prata nos 400 m no Campeonato Mundial de Sevilha, em 1999, comemora 46 anos nesta quarta-feira (7/10) e recebe os parabéns da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). 

Ele é recordista brasileiro da prova, com 44.29, marca obtida no dia 26 de agosto de 1999, na Espanha. O resultado também foi recorde sul-americano até o Mundial de Doha, em 2019, quando o colombiano Anthony Zambrano ganhou a medalha de prata, com 44.15, batendo uma marca de 20 anos.

“A maior lembrança é a alegria, a felicidade da conquista alcançada, ter a certeza de ter se superado e vencido a si mesmo. Muito bom ver o que começou anos antes do resultado. É algo que você planta e cuida até colher os frutos, os resultados desejados”, disse Sanderlei, que trabalha como treinador no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista (SP), e dá clínicas de velocidade prolongada pelo País.

Foi em 1984 que Sanderlei começou a treinar atletismo na ADPM, o clube da Polícia Militar, na Baixada Santista. Foi levado pelo pai, que fazia parte da corporação. Em 1985, disputou sua primeira competição oficial, em Cubatão, quando correu os 200 e os 400 m, sob a orientação do treinador Daniel Firmino.

Orientado na melhor fase de sua carreira por Luiz Alberto de Oliveira, nos Estados Unidos, quando treinava com Joaquim Cruz, Zequinha Barbosa e Agberto Guimarães, entre outros, Sanderlei ficou em quarto lugar nos 400 m nos Jogos de Sydney-2000, depois de um falso positivo no antidoping. Foi liberado apenas às vésperas da competição e sentiu falta de ritmo para brigar por um lugar no pódio olímpico.

Sanderlei obteve 44.29 em Sevilha, onde só foi superado pelo norte-americano Michael Johnson, que bateu na ocasião o recorde mundial da prova, com 43.18.

Ele faz parte também da equipe brasileira recordista sul-americana do revezamento 4×400 m, com 2:58.56. Ele correu ao lado de Eronilde Araújo, Anderson de Oliveira Santos e Claudinei Quirino nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg-1999, no Canadá.

Aos atletas mais jovens, ele dá um recado. “Sonhe, mas não deixe ficar apenas no sonho. Tire da cabeça, coloque no papel e se pergunte qual o caminho que precisa trilhar para conquistá-lo. Chegue ao treinador e diga: ‘Eu acredito que sou capaz de alcançar esse resultado. Você acredita? Você pode me guiar nesse caminho?’. O segredo é dedicação, perseverança e resiliência. Pessoas chegaram a dizer que eu não correria os 400 m nem para 45 segundos. Se eu tivesse dado ouvidos, jamais teria chegado aonde cheguei. É preciso acreditar”, afirmou.

Nascido em Santos (SP), no litoral sul paulista, Sanderlei também integra como professor especialista a Comissão Científica da CBAt, responsável por avaliar e selecionar os trabalhos científicos a serem publicados no site oficial da entidade.

O perfil de Sanderlei integra a série de matérias Aniversários, iniciada em julho pela CBAt para relembrar a trajetória de atletas que conquistaram medalhas em Olimpíadas e Mundiais. “São atletas que representaram bem o nosso esporte e que tantas glórias trouxeram para o Brasil”, afirma o presidente do Conselho de Administração da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho, que parabeniza Sanderlei.

A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.

Share