Projeto ‘Bota pra Correr Alter do Chão’ fortalece economia de Santarém

18 d novembro d 2019 às 6:12 pm

Nesse sábado (16) atletas de várias regiões brasileiras se juntaram a corredores santarenos  para participar da terceira etapa do Bota pra Correr. A primeira prova aconteceu no Jalapão, a segunda foi realizada no Pantanal e a terceira ocorreu entre os trajetos de Alter e Pindobal.

Foto: Divulgação

O evento é um projeto desenvolvido pela Olympikus que visa democratizar a corrida no Brasil, promovendo o esporte em circuitos inéditos a fim de criar experiências inesquecíveis para os atletas.

“Bota pra correr” uniu corredores de todo o Brasil em Santarém.Não faltou entusiasmo e disposição aos corredores do ‘Bota pra Correr Alter do Chão’. Ao chegar ao local marcado para largada, praia de Jucuruí, os participantes perceberam que o circuito seria mesmo especial. O encontro das águas transparentes do Rio Tapajós com a areia limpa da praia foi só a primeira surpresa do dia.

Na praia foi construída uma arena olímpica inflável para atender os atletas. Às 7h a prova começou! No trajeto, paisagens de praia e floresta amazônica motivavam os corredores a completar o desafio. Em 40 minutos o primeiro corredor pelo circuito de 10 km cruzou a linha de chegada. A última participante a regressar completou a prova de 21 km em 3h40. Emocionada, ela foi recebida com aplausos pelos outros corredores.

Foto: Divulgação

O clima nublado abençoou o evento e deu um refresco aos competidores que puderam curtir a prova com mais tranquilidade. O maior desafio, para a maioria deles, foi conseguir correr sem fazer paradas para registrar a paisagem.

“Nunca vi nada igual. Lindo! Praia maravilhosa. Ar puro. A gente que mora em São Paulo, quando vem pra lugares assim, parece que troca de pulmão de tão renovado que fica. Achei demais. Uma das praias mais lindas que eu já vi”, disse a corredora Amanda Preto.

Ela conta que participou de todas as etapas do Bota pra Correr e adorou a experiência. “Foi muito maravilhoso porque eu sempre corri no asfalto e você descobrir um lugar diferente e correndo assim em um terreno que você não está acostumado. É desafio com apreciação da natureza. É um jeito diferente de curtir a corrida”.

O maratonista Adão Passos veio de Brasília. Ele conta que sempre procura variar o local da corrida e adorou a iniciativa da Olympikus. “Essa é uma das coisas mais bonitas pra quem corre. Conhecer o Brasil. Você conhece lugares que nem sonharia que existem. Eu não sabia que existia esse lugar no mapa. Quando eu vi no site ‘Bota pra Correr Alter do Chão’ eu não sabia nem o que significava. E realmente é fantástico. Praias lindas. Maravilhoso isso aqui. Sensacional. Tomei banho de rio o tempo todo. Você olha assim e nem imagina que pode ser rio. Parece mar. Um espetáculo. O Brasil é muito bonito. As pessoas precisam conhecer mais o Brasil”.

A chuva atrasou em alguns minutos a cerimônia de entrega de troféus marcada para 10h da manhã. Para os corredores, foi uma benção da natureza pelo esforço que fizeram.

Ator nacional Bruno Gagliasso participou da corrida. Foto: Acervo Pessoal. Os três melhores colocados das categorias geral e máster subiram ao pódio. Ao todo, seis homens e seis mulheres receberam troféus personalizados com a imagem de uma samaúma, que fez referência à floresta Amazônica. As medalhas, também personalizadas, foram entregues a todos os participantes.

Foto: Divulgação

Sérgio Luiz veio de Porto Alegre, onde trabalha como sapateiro. Ele não chegou a subir no pódio, mas adorou a experiência. Disse que já conheceu várias regiões brasileiras como Ceará, Sergipe e Bahia, mas nunca imaginou que um dia iria ao Pará. “Foi uma bela surpresa! Gostei demais. Não tinha imaginado que existisse um lugar tão bonito no interior. No Pará. E o clima é ótimo”.

Apesar do Projeto incentivar o engajamento regional na prova, dando prioridade ao estado onde é realizada, a maioria dos competidores da edição Alter do Chão foi de turistas. Mas santarenos também participaram do evento. Foi o caso do empresário Marcio Figarela. “Tem mais de cinco anos que eu pratico esporte. Já corri em outras cidades e em outros eventos e não poderia perder a oportunidade de participar do ‘Bota pra Correr’ realizado na minha região. É um evento muito grandioso”.

Pra ele a parte mais difícil da prova foi o trecho de praia com areia molhada, mas o desafio valeu à pena. “A areia tava molhada. Tava um pouco pesado”.

O coordenador de esporte e lazer de Santarém, José Maria Lira, prestigiou o evento e garantiu que a sua realização abre caminho para que novos eventos esportivos nacionais e internacionais sejam realizados na cidade. “Santarém entra no circuito internacional de corrida com a realização desse evento. É uma cidade muito propícia a pratica esportiva com essa pegada de desafio. Não só a corrida, mas também natação, caminhada, ciclismo e outras modalidades”.

Na edição Alter do Chão do ‘Bota pra Correr’ dois modelos de tênis, considerados pelos especialistas como os melhores tênis de corrida já fabricados no Brasil, segundo a organização, foram lançados.

Além de exemplares de tênis personalizados com o nome de Alter do Chão, os corredores também receberam no kit, entregue no dia anterior (15) no Lago dos Botos, edições exclusivas de mochilas, bolsas, camisas e viseiras com o nome da vila.

Foto: Divulgação

O Bota pra Correr é um projeto de natureza sustentável, por isso as inscrições foram limitadas. De acordo com a organização do evento, a marca Olympikus se preocupa com os impactos ambientais que o evento poderia gerar no local, por isso limitou a quantidade de vagas para apenas 400 e tomou outras medidas para impedir que fosse gerado lixo no local. Durante a prova nenhum copo descartável foi distribuído aos corredores. Eles receberam no kit um copo retrátil de silicone que pôde ser reabastecido nos postos de hidratação montados ao longo do percurso.

Para o secretário municipal de turismo Diego Pinho, já é possível notar os impactos positivos que o evento produziu e continuará produzindo para o turismo na região. “Eles trouxeram para Santarém influenciadores digitais e personalidades famosas no cenário nacional que estão produzindo conteúdo sobre as nossas belezas naturais e a cultura do nosso povo. Isso vai gerar muita repercussão positiva para o destino turístico. Tenho certeza que muitas pessoas vão querer visitar Santarém e Alter do Chão por causa do Bota pra Correr. E nós fizemos parte de tudo isso apoiando e incentivando a realização e já estamos fechando novas parcerias para 2020, disse Pinho.Da esquerda para direita: secretário Bruno Costa, prefeito Nélio Aguiar, secretário Diego Pinho e coordenador do NEL José Maria Lira.

“Nós abrimos as portas da prefeitura para prestar apoio a esse evento porque, independentemente se o evento é de origem pública ou particular, ele trouxe benefícios para o município. Gerou emprego e renda. Injetou recursos na economia e trouxe vários turistas. Divulgou Santarém e Alter do Chão como atrativo turístico” salientou o prefeito de Santarém Nélio Aguiar.

Share